domingo, 13 de maio de 2018

Os jovens das duas dioceses celebram Jornada em Bambadinca

Sob o lema: "Maria, não temas pois achaste graça junto de Deus" (Lc 1,30) os jovens das duas dioceses juntaram em Bambadinca nos dias 11 a 13 de maio. O clima era de festa, como sempre acontece nestas grandes celebrações de fé e de encontro fraterno. Difícil dizer quantos eram os participantes, tendo em conta o numero elevado de jovens que não conseguiu inscrever-se dentro do prazo (1 de abril), mas quis participar na mesma. Os inscritos regulares foram 2.500, mas havia também um bom numero de "irregulares".








Os momentos mais significativos dos três dias foram muitos: a adoração no 1° dia; a peregrinação, no sábado; o concerto musical, na noite do mesmo dia; as catequeses do bispo; a s. Missa de conclusão. Na sexta-feira os jovens tiveram também a possibilidade de refletir sobre a própria vocação na Igreja através de uma "quermesse vocacional" preparada de propósito para eles. Em definitiva, foi um momento de Deus muito forte, mas também uma ocasião para reforçar a própria fé e repartir com novo entusiasmo.






domingo, 29 de abril de 2018

Seminaristas do seminário maior em concerto

No dia 29 de abril os nossos seminaristas maiores, quer dizer, os estudantes do Seminário Maior: diocesanos, franciscanos, membros do Preciosíssimo Sangue, irmãs franciscanas e marianitas e uma leiga consagrada, pensaram em oferecer um espetáculo musical  pouco habitual, executando cantigas, conhecidas e novas, em polifonia. O resultado foi um concerto musical muito vivo e agradável. Os jovens cantores não se limitaram a cantar, mas deram um autentico espetáculo executando passos de dança, entrando e saindo em procissão. Foi, de facto, um concerto digno dos grandes artistas. Um dia, talvez, iremos vê-los em televisão.

sábado, 28 de abril de 2018

Triunfo da 2ª Jornada do Bispo


Uma grande multidão respondeu presente à 2ª Jornada do Bispo, que teve lugar no liceu João XXIII nos dias 21 e 22 de Abril de 2018. O lema escolhido era provocador, desafiante: “Eu sou pedra viva. E tu?” Um claro convite a todos os cristãos para que não vivam uma "fé a tempo" ou só quando lhes apetece, mas  como pessoas autênticas, comprometidas. 
Durante esses dois dias a gente “apertou” os seus bispos, solidarizando com eles, partilhando momentos de festa e de alegria. Foi um testemunho muito bonito, espontâneo, genuíno. 
Os momentos mais fortes foram a marcha, ao longo da avenida dos Combatentes da Liberdade da Pátria, que teve lugar no sábado 21, pelas 6h00 com partida da rotunda do aeroporto e chegada ao portão da Cúria diocesana. Os dois bispos quiseram marcar presença e andar com a gente. A gente apreciou muito este gesto. A tarde, houve jogos de bola. O primeiro jogo foi jogado entre as irmãs e as mulheres da comissão preparatória da Jornada e, em seguida, os padres contra os membros masculinos da mesma comissão. Foram dois jogos "históricos", apaixonantes. As irmãs surpreenderam todos com o seu jogo de equipa, que mostrou logo a sua superioridade sobre as adversárias (no fim elas ganharam o jogo por 2-1). Por seu lado, os padres, suportados pelos dois bispos (que jogaram toda a primeira parte) concluíram o jogo com um brilhante empate (1-1). Ambos os resultados sao excepcionais, considerando que padres e irmãs não brilham pelo seu atletismo.  
E vamos para o dia domingo, onde o momento clou foi a s. missa, presidida pelo D. José Câmnate que era ladeado pelo seu auxiliar e por uma vintena de padres. A notar que a comunidade anglófona celebrava naquele dia o 11 aniversario da sua fundação. Entre os dons levados ao altar havia um bode, três sacos de arroz, um saco de cebolas, bebidas (agua, sumo, etc.).
Durante os dois dias funcionou uma cozinha muito eficiente que vendeu vários pratos de comida: cafriela, caldo de chabeu, caldo de mancarra, feijoada a preços razoáveis. No sábado foi organizado também um espectáculo de danças, cantigas e peças oferecido pelos alunos dos nossos jardins. 




domingo, 15 de abril de 2018

A promessa dos Valentes. Proposta de um pároco


RAZÕES DA COLOCAÇÃO DA PROMESSA FORA DA SANTA MISSA

S. Domingos, 15 Abril 2018

Os factos  
Ontem, sábado 14 de Abril 2018, chegaram na nossa Paroquia de São Domingos algum representante do Bureau Diocesano dos Valentes. Quando fui cumprimentá-los disseram que nenhuma promessa terá lugar em São Domingos, porque o pároco decidiu de colocar a promessa fora da Missa. Eu tentei apresentar as minhas razões mas eles continuavam a dizer que a “autoridade máxima” dos Valentes (o Bureau Diocesano) e o Estatuto deles não podiam absolutamente admitir a promessa fora da Missa.
Eu tentei explicar que o dono dos sacramentos é o Bispo, junto com os padres, seus colaboradores. Tentei explicar que a Missa não é um “espectáculo” e que nós padres sabemos o que é a Missa. Tentei explicar que nós podemos discernir o que podemos fazer dentro da Missa e o que é que é melhor não fazer, mas eles não queriam escutar ninguém. Continuavam na posição deles: a promessa não se pode fazer assim!
No fim de conversas inúteis, de noite, liguei ao nosso Bispo, o Dom José Camnate. Disse-lhe que o Bureau Diocesano proibiu de fazer a promessa porque a paróquia de São Domingos decidiu de colocar a promessa fora da Missa. Disse-lhe que todo estava pronto, que os pais dos Valentes pagaram muito dinheiro para esta promessa. Dom José logo disse-me que o Bureau Diocesano não podia decidir assim e que se deve fazer a promessa como o pároco disse, depois da Missa. O Dom Lampra naquele momento estava em São Domingos para a festa do aniversário da Rádio Sol Mansi. Eu fiquei muito mal porque também diante da autoridade do Bispo o Bureau continuava na sua posição e não queria aceitar a promessa fora da Missa.
No fim, depois que o Dom Lampra falou com alguns representantes do Bureau, a promessa foi feita como decidido na paróquia, depois da Missa... Mas a impressão é que o Bureau Diocesano ficou mal e não aceitou de verdade. De facto, como protesta, os Valentes recusaram de cantar na Coral, como tinha sido decidido e, à tarde, alguém me disse que esta promessa era inválida porque feita fora da Missa.

         Uma reflexão 
S. Domingos, 15 Abril 2018
1.       Aonti n papia ku Dom José Camnate, Bispu di Bissau. Bispu kuma nin sakramentus utrora e pudi dadu fora di Missa. I tchoma pa isemplu sakramentu di Matrimoniu. I ka kuma, si sakramentu i fasidu fora di Missa, sakramentu i ka bali. Dom Jose kuma promessa i pudi fasidu dipus di Missa (fora di Missa), suma paroku i fala. I ka kuma, manera ke promessa i na fasidu fora di Missa, nton promessa i ka bali.

2.       Manga di bias no ta fala: “Nau, promessa i dibi di fasidu dentru di Missa, pabia asin ke sta skirbidu na statutu di movimentu”. I bardadi, talves i skirbidu, ma será ke tudu kusa ke skirbidu tan na Biblia ou na Kodigu di Direitu Kanoniku, no ta kumpril tudu. Na Igreja Universal tan i sta skirbidu kuma konviventes e sta na un situason iregular na igreja. Ma anos no ka ta balur pa es pronunsiamentu di Igreja i no ta pui tan konviventes pa sedu dirigentes ou pa fasi promessa. No punta no kabesa si na statutu di movimentu i sta skirbidu kuma konviventes e pudi sedu dirigentes ou e pudi fasi promessa. Dipus Valentes i un movimentu Katoliku, di kristons batisadus katolikus. Si no na djubi estatutu geral di movimentus di ason katoliku no na nota kuma normalmenti se membrus e dibi di sedu batisadus. Normalmenti i asin, i sta skirbidu, ma anos na Guiné, no disidi di iabri movimentu pa tudu djintis, pa kilis tan ke ka ientra inda ufisialmenti na Igreja atraves di Katekumenatu.Pa no ka fala nton kuma: “I sta skirbidu”. I ka tene nin un lei di Igreja Universal ke ta fala kuma promessa di Valentes i dibi di fasidu obrigatoriamenti dentru di Missa.

3.       Paroku di un parokia, normalmenti i kunsi se djintis ku realidadi di parokia propi. Si paroku na si ekipa misionariu (=padris ku irmas) i sai ku orientason di fasi promessa di Valentes, dipus di kantiga final di Missa, i pabia e tene si rason. Tudu kilis ke sai di utru kau, ke sai di utru parokias, ke ka intindi es orientason, e dibi di punta ku manga di tempu antis, i ka na ultimus oras antis di promessa fasidu. Pa paroku i ntergadu tchabi di parokia. Paroku i ka patron. I alguin ke ntergadi tchabi. I kunsi kau, i tene responsabilidadi. Si paroku i na da un orientason, pa unidadi ku komunhon di komunidadi, tudu djintis i dibi di fasi esforsu pa asumi es orientason, pa intindi es orientason, pa sedu kumpridur di es orientason. Paroku i suma dunu di kau di kasamentu. Si dunu i na fala “sinta li!”, abo ku umildadi bu na sinta na kil kau ki mostradu. Ou si dunu i na patiu sumu, bu ka na ndjutil, ma bu na falal “Obrigadu!”. Paroku kuma i mindjor pa promesa fasidu fora di Missa. Utrus padris di parokia e seta, irma i obi i seta, garandis di movimentu na S. Domingos e seta (Konkretamenti Aureliano ku Albino), dianti  di mi e seta. Ke ku manda no dibi di rivendika direitus na kau di utrus? Es ami n na tchomal indisiplina ku disobediensa.

4.       Bispu di Bissau kuma promessa i pudi fasidu fora di Missa, aos, dia 15 di Abril di 2018. Bispu Dom Camnate kuma autoridadi ma altu, ma garandi di Diosesi i Bispu, i gosi, na es momentu es autoridadi i rapresentadu pa si Bispu auxiliar, Dom Jose Lampra Ca. El ke no dibi di sukuta. El ke dibi di resolvi es prublema. Bispu di Bissau, Dom Camnate, kuma, Bureau Diosesanu di Movimentu i ka pudi disidi di maina promessa. Bureau Diosesanu i ka ma disison di paroku di S. Domingos. Un di pilaris firkidja di movimentu i OBEDIENSA. Normalmenti tudu movimentu i dibi di sirbi komunidadi parokial. Movimentu i dibi di djuda anima parokia, kria unidadi, i ka dibi di sedu rason di disorden, disobediensa ku divison. Autoridadi parokial sempri i ma importanti. Nin si membrus di Bureau Diosesanu e ka sibi, i asin. Nha disison i komunikaduba na konselho parokial i na ekipa misionariu di parokia. Gosi es dus grupus e dibi di orienta parokia. I ka movimentu ke na orienta konselho parokial ku ekipa misionariu.

5.       Papa Fransico ultimamenti i da manga di katekesi riba di Missa. Missa i sagradu, i sakrifisiu di Kurpu ku Sangui di Kristu. Papa kuma Missa i ka “ESPETAKULU”. El ku manda ami n da orientason di fasi promesa fora. I son un disison ke misti rispita ku ama Sakramentu garandi di Eukaristia. Manga di Valentes e ka ta mati Missa dia Dimingu. Utrus e ta laba ropa dia Dimingu, e ka ta mati. Movimentu di Valentes i ka dibi di sta preokupadu son ku un uniku Missa, Missa di promessa. Movimentu i dibi di sta preokupadu ku partisipason di si membrus na tudu Missas, riba di tudu Missa Dominikal. Ke ku manda no misti promessa dentru di Missa ma no ka sta preokupadu ku presensa di Valentes na Missa di tudu Dimingus? Es no dibi punta no kabesa ku umildadi i ku seriedadi. Dipus n da es orientason pa no ka kunfundi no djintis ku no mininus. Pa e ka pensa kuma promessa i suma sakramentu. Sakramentus e pudi dadu dentru di Missa, utrus kusa e pudi fasidu fora. Maioria li na S. Domingos e ka ientra inda na Igreja. Paroku i kunsi realidadi. Maioria e ka fasi nin entrada na Katekumenatu. Ora ke bu na ientra na katekumenatu ke bu na sedu membru di Igreja. No sta na papia di mininus ke nin e ka ientra ufisialmenti na Igreja, nin e ka katekumenus, nin batisadus. No punta no kabesa: “Kal direitu ke tene??”.

___________________________________
(Pe. Franco Beati – Paroco di S. Domingos)

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Mensagem dos Bispos para a Quaresma 2018

 Dia de Jejum e Oração pela Paz

24 Horas para o Senhor  

Irmãos e Irmãs nas Dioceses de Bissau e de Bafatá,
Com a liturgia de hoje, “Quarta-feira de Cinzas”, iniciamos o sagrado Tempo da Quaresma, um retiro espiritual voltado à reflexão, onde os cristãos se recolhem em oração, penitência e caridade para preparar o espírito para a acolhida do Cristo Vivo, Ressuscitado no Domingo de Páscoa.

Dia de Jejum e Oração pela Paz  

No Angelus do domingo, dia 05 de fevereiro, o Papa Francisco voltou a condenar a violência e convocou um Dia de Jejum e Oração pela Paz, dizendo: “diante da trágica continuação de situações de conflito em diversas partes do mundo, convido todos os fiéis a um Dia especial de Oração e Jejum pela Paz no dia 23 de fevereiro próximo, sexta-feira da Primeira Semana da Quaresma”. Em seguida disse: “O ofereceremos em particular pelas populações da República Democrática do Congo e do Sudão do Sul. Como em outras ocasiões similares, convido também os irmãos e irmãs não católicos e não cristãos para se associarem a esta iniciativa nas modalidades que considerarem mais oportunas, mas todos juntos”.

“24 Horas para o Senhor”  

Na sua Mensagem para a Quaresma 2018, o Papa Francisco anunciou “a iniciativa ‘24 horas para o Senhor’, que convida a celebrar o sacramento da Reconciliação num contexto de adoração eucarística...nos dias 9 e 10 de março – uma sexta-feira e um sábado –, inspirando-se nestas palavras do Salmo 130: ‘Em Ti, encontramos o perdão’ (v. 4)”. O Papa acrescentou: “Em cada diocese, pelo menos uma igreja ficará aberta durante 24 horas consecutivas, oferecendo a possibilidade de adoração e da confissão sacramental”.  Na Diocese de Bissau, a igreja “São Pedro”, na Paróquia do Bairro d’Ajuda, Bissau, ficará aberta as 24 horas consecutivas. Na Diocese de Bafatá, será a “Capela da Missão Católica de Bafatá” a concretizar o apelo do Papa. Pedimos, no entanto, que mais igrejas permaneçam abertas as 24 horas e que todas abram suas portas o mais tempo possível.   Unamo-nos ao Papa, concretizando seus dois apelos.

Unamo-nos à nossa Conferência Episcopal do Senegal, Mauritânia, Cabo Verde e Guiné-Bissau que nos enviou a sua Exortação para esta Quaresma: “O Respeito e a Promoção do Bem Comum”. 
A todos nós, um bom Itinerário Quaresmal. 

Bissau, Bafatá, 14 de fevereiro de 2018. Quarta-feira de Cinzas 

Dom José Câmnate na Bissign                       Dom Pedro Carlos Zilli          
         Bispo de Bissau                                           Bispo de Bafatá  

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Curso de missiologia é organizado em Roma

Depois do primeiro curso (em 2015), as Pontifícias Obras Missionarias decidiram organizar um segundo curso de missiologia para os diretores nacionais das PP.OO.MM. (e seus colaboradores mais próximos) dos países de língua portuguesa. O curso, de alto nível, conta com a participação de trinta pessoas de sete países: Brasil, Portugal, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Timor-Leste e Guiné-Bissau. Só falta São Tomé e Príncipe.
Os secretários gerais da União Missionaria, da Santa Infância e de S. Pedro Apóstolo
Para além das temáticas enfrentadas (missão e dialogo inter-religioso, missão e interculturalidade, a atualidade da missão ad gentes, etc.), o curso previa a visita de alguns lugares significativos: Assis, a cidade da paz, as catacumbas de Priscilla e a sede das Pontifícias Obras Missionarias. Na quarta-feira, houve a celebração eucarística na cripta da basílica de S. Pedro e a participação na audiência papal.
A Guiné-Bissau está representada pelo p. José Giordano, diretor nacional da PP.OO.MM., a ir. Eliane Armoa e o fr. Renato Chiumento, professor de missiologia no seminário maior.
O curso, que se desenrola no CIAM (centro internacional de animação missionaria), começou no dia 24 de janeiro e se termina a 3 de fevereiro.




Os participantes da Guiné-Bissau: ir. Eliane, p. Giordano e fr. Renato

A sede da Congregação de Propaganda Fide